• An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
Calosidade nos Pés PDF
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 

 


É oriunda da falta de cuidado com os poleiros, bem como da observação adequada do crescimento exagerado das unhas.

Autor: Aloísio Pacini Tostes


 

CALOSIDADE NOS PÉS

Doença muito comum, notadamente nos bicudos. É oriunda da falta de cuidado com os poleiros, bem como da observação adequada do crescimento exagerado das unhas.

Com o passar do tempo, se o poleiro não é limpo e desinfectado, torna-se ensebado e escorregadio, envolto em uma crosta de excrementos e restos de comida. Chega a brilhar de tanta sujeira e gordura.
Assim, o pássaro em pouco tempo estará propenso a adquirir uma atrofia nos pés que mais tarde poderá se transformar em calo. Doença das mais graves e incômodas. Porta de entrada para uma série de infecções que pode levar a ave à morte.

A profilaxia deve ser:

limpara sistematicamente todos os materiais existentes na gaiola;

aparar periodicamente as unhas

não deixar que se entortem com poleiros muito grossos.

Como terapia, se limpa os pés com água morna, passando-se pomada à base de glicerina para lubrificar, podendo até ter enxofre. Cortam-se as unhas e coloca-se um calicida no olho do calo. Isso tudo uma única vez para não provocar estresse. Em seguida, colocam-se poleiros tipo convexos durante 30 dias, descansando 8 dias, para colocá-lo de novo por mais 30 dias. É bom que se usem também poleiros de material macio, tipo do talo de buriti Mauritia-vinifera.